Algumas questões relevantes sobre os testes de parentesco biológico, Paternidade

resumo

Os resultados de um relatório de teste de paternidade, ou também conhecido como um relatório de ADN de Averiguação de Paternidade, evidenciam/ provam um alegado relacionamento familiar.

Como é apresentado um relatório de teste de ADN?

Um relatório pode ter vários formatos desde a descrição da tecnologia utlizada, referencias biográficas, kits de ADN, legislação que se enquadra, enfim é possível escrever um relatório de paternidade de uma página apenas até 5/6 páginas, tudo depende dos métodos do laboratório. Um relatório por ter 6 páginas não é mais fiável do que um com 1 página, como o contrário também pode ser verdade. Acima de tudo, o mais importante é considerar o número de marcadores genéticos utilizados e a equipa que executa o exame de ADN.

Mas numa análise de parentesco, testamos as amostras de ADN/ DNA para encontrar correspondências dentro do ADN dos participantes. Cada pessoa tem, naturalmente, um perfil de ADN único. Ou seja, metade da sua mãe e a outra do seu pai. Existem pequenas variações no ADN de cada pessoa que são úteis para testes de ADN. Quando testamos as suas amostras de ADN e escrevemos um relatório de ADN, estes relatórios mostram claramente estas variações ou a sua ausência. Assim, podemos estabelecer ou descartar certos paralelismos entre os diferentes relatórios e, portanto, também especificar uma relação entre os participantes do teste.

Os nossos relatórios de ADN estão de acordo com a lei internacional europeia e os atuais padrões médicos. Os relatórios são aprovados pelos tribunais internacionais. Se pretende usar o relatório no tribunal, sugerimos que discuta a sua intenção com o juiz, antes de se decidir onde e como pode realizar o teste de ADN de investigação biológica.

Qual a idade mínima que uma criança pode realizar um teste de paternidade de ADN?

Um bebé recém-nascido pode ser testado logo no 2º dia de vida. As amostras para o nosso teste de paternidade são realizadas com uma simples colheita bucal. Assim não é traumático para um bebé. Só precisa tomar cuidado para não usar a zaragatoa logo após o bebé ter sido alimentado. Aguarde cerca de 30 minutos para que os resíduos alimentares não interfiram na colheita de ADN. Assim, o ADN materno não contamina o ADN da Criança.

Os resultados exibidos.

Resultado: Paternidade comprovada

Num teste de paternidade de ADN, bem como num teste de relação biológica complexa (relações familiares), comparamos o perfil genético dos participantes para determinar se os participantes estão ou não relacionados. Isto é feito por uma comparação dos marcadores de ADN.

Para um teste de paternidade, o nosso laboratório testará pelo menos 21 marcadores de ADN para determinar a paternidade. Se houver uma chance de os dois supostos pais estarem relacionados, precisam de nos informar de antemão. Análises adicionais necessitarão de ser realizadas e isso determinará a maneira como interpretamos os resultados do teste.

Para um teste de relacionamento complexo, usaremos um teste mais abrangente, pois os participantes geralmente são parentes distantes, se relacionados. Então, vamos testar 26 – 45 marcadores, se necessário ainda mais que isso, para responder à questão do relacionamento entre os participantes.

Se, após o teste, não pudermos excluir a paternidade de um pai alegado, procederemos a um cálculo de probabilidade bioestatística. Desta forma, provaremos com uma certeza de > 99,99% que as pessoas estarão relacionadas biologicamente.

Se a mãe participar no teste de ADN, o resultado estatístico da probabilidade pode ser aumentado para 99,9999%.

Resultado: Paternidade excluída

Se existem marcadores genéticos no perfil de ADN/DNA da criança que não podem ser encontrados no perfil do suposto pai, essa pessoa é excluída como o pai biológico dessa criança.

Para um teste de paternidade com dois ou três participantes, geralmente testamos 21 a 31 marcadores de ADN. A criança herda metade do ADN da mãe e a outra metade do pai. Se a mãe e o suposto pai são os pais biológicos da criança, o ADN deve ser herdado desses pais. Quando, durante o teste, encontramos diferenças em 3 ou mais marcadores de ADN, a paternidade do alegado pai é excluída.

Uma exclusão será sempre 100% segura. Não há “talvez”. Se chegarmos a esta conclusão após as primeiras análises, repetiremos o teste completo gratuitamente com a segunda amostra que enviou, originando sempre uma contra-prova dentro do laboratório.

Em suma, o que é importante constar num relatório de teste de ADN?

É importante lembrar que os resultados de um teste de ADN informativo não são admissíveis em tribunal. Se é para apresentar em tribunal pode sempre solicitar aos nossos serviços um teste de paternidade legal.

O mais importante num relatório de investigação de paternidade, sem dúvida que são os marcadores genéticos, só pelos marcadores utilizados é possível descobrir a tecnologia que o laboratório usou, quanto mais marcadores mais confiável é o resultado. Se pretende um relatório como número máximo de marcadores, exclusivo dos nossos laboratórios pode ver mais informações aqui.

Veja aqui mais sobre os testes de ADN premium>>

Leave a reply