Como realizar o Teste de Paternidade quando a criança ou o pai estão em países diferentes.

Num mundo cada vez mais globalizado, muitas famílias enfrentam desafios únicos, especialmente quando se trata de questões delicadas como a determinação da paternidade.

Quando a criança ou o pai se encontram em países diferentes, as preocupações sobre como fazer o teste de paternidade à distância é uma realidade.

Neste artigo, exploramos como é possível realizar um teste de paternidade quando a distância geográfica é um obstáculo.

Costuma-se pensar, (e é normal obter esta recomendação de laboratórios sem experiência) que a principal preocupação ao lidar com casos internacionais é como enviar amostras de um país para outro. No entanto, é importante entender que esta opção é errada.

 

Envio de amostras de ADN de um País para o outro (a escolha errada).

O envio de amostras biológicas de um país para outro é um desafio devido a uma série de complicações logísticas e regulamentares.

Primeiramente, as amostras biológicas que contém material genético, estão sujeitas a rigorosas regulamentações alfandegárias e transporte internacional.

A aplicação destas regulamentações e restrições resulta em atrasos, custos adicionais e até mesmo a possibilidade de perda das amostras durante o processo de envio ou receção no país de destino. Além disso, as diferentes leis e regulamentações em relação à exportação/ importação de material biológico em diferentes países criam obstáculos adicionais, tornando o processo mais demorado, dispendioso e sujeito a complicações legais.

 

A título de exemplo -> Legislação: Transporte das amostras biológicas de, e para Portugal

Por exemplo em Portugal, a entrada de amostras biológicas no país para a realização de testes de ADN requer a autorização específica do Infarmed, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde.

A Lei n.º 21/2014, de 16 de abril, estabelece as normas para o acesso e utilização de material genético de origem humana para fins de diagnóstico genético, sendo essencial obter a devida autorização para importar e manipular amostras biológicas no território nacional.

Portanto, este é o processo mais ineficiente que existe para se realizar um teste de paternidade, mas ainda assim, 95% dos laboratórios recomenda utiliza-lo, quando confrontados com o problema do alegado pai e suposto filho estarem em zonas geográficas diferentes.

Qual a solução para realizar o teste de paternidade quando o Pai e o suposto filho estão em países diferentes?

A solução passa sempre por fazer o exame por etapas, utilizando os laboratórios locais existentes no país que cada interveniente está, esta é a solução mais eficiente e menos propensa a problemas de extravio, degradação das amostras, logísticos e burocráticos.

Solução: A abordagem consiste em cada participante [Alegado pai e filho(a)] realizar o perfil de ADN individualmente em laboratórios locais, dentro de seu próprio país. Após a emissão dos perfis genéticos, um dos laboratórios assume a responsabilidade de conduzir o exame. Embora à primeira vista possa parecer complexo, este é um processo deveras simples.

Passo 1: Esclarecer as tecnologias laboratoriais

.

1.1) Procure os laboratórios nos diferentes países;

1.2) Verifique as tecnologias utilizadas nos laboratórios para análise de ADN.

1.3)  Escolha o laboratório que realizará o teste de paternidade.

Passo 2: Coordenação do processo

.
2.1) A pessoa responsável por iniciar o processo realiza seu perfil de ADN primeiro (Este é o laboratório que não irá realizar o teste de paternidade).

2.2) O relatório em formato PDF é enviado eletronicamente para a outra parte envolvida no teste.

2.3) A pessoa que recebe o relatório realizar o seu próprio perfil de ADN e, simultaneamente, o teste de paternidade.

Localização dos Laboratórios:

A chave para superar a distância é encontrar laboratórios de análise de ADN nos países onde a criança e o pai residem. Optar por fazer o perfil genético localmente elimina a necessidade de transportar fisicamente as amostras, reduzindo custos e complicações logísticas.

 

Colheita das amostras de ADN:

O processo de colheita das amostras geralmente envolve um simples esfreganço bucal. Deve ser sempre realizado no laboratório e sob a supervisão de profissionais de saúde.

Realiza primeiro a colheita de ADN o laboratório que NÃO irá realizar o teste de paternidade.

 

Documentação e Envio:

Uma vez o perfil de ADN realizado, a documentação associada é enviada em formato digital para o outro laboratório ou contraparte no processo (Neste caso pode ser preciso um teste de paternidade com valor em tribunal). Este envio permite uma transmissão rápida e eficiente dos perfis genéticos.

 

Análise e Relatório Final:

O laboratório que realiza o teste de paternidade, faz a colheita de ADN no segundo interveniente no processo e recebe o documento com o perfil de ADN da outra parte. Os profissionais comparam os perfis genéticos com base nas amostras colhidas e no relatório entregue. O relatório final será enviado para as partes, oferecendo uma análise conclusiva e detalhada.

 

Vantagens da realização do teste de paternidade por etapas:

Além da óbvia vantagem de evitar o transporte de amostras através de fronteiras internacionais, optar por realizar o teste de paternidade desta forma proporciona maior eficiência, rapidez e menor exposição a complicações.

 

Conclusão:

Apesar de ser um processo simples, existe algumas questões que devem sempre ser respondidas, fale connosco para o(a) orientar neste processo.

Fazemos este tipo de processo há mais de 10 anos, temos uma equipa dedicada em todas as etapas. Fale connosco.

A distância física não precisa ser um obstáculo intransponível para determinar a paternidade. Ao aproveitar os avanços tecnológicos e realizar o teste de paternidade desta forma, as famílias podem obter respostas cruciais de maneira eficaz, mantendo a confidencialidade e respeitando os limites geográficos. Este método inovador oferece uma abordagem moderna e acessível para famílias em situações desafiadoras, tornando o processo mais acessível e menos dispendioso.

Leave a reply