Um teste de paternidade pode não lhe dar as informações que está a pensar.

resumo

Se está a pensar fazer um teste de paternidade ADN e não tem a certeza das respostas que o exame pode ou não pode dar, nós esclarecemos toda a informação que poderá obter de um teste de paternidade.

Um teste de paternidade responde a uma pergunta! À única pergunta para o qual foi desenhado, se é o pai biológico da criança

A tecnologia presente nos laboratórios é tão avançada que pode ter a certeza que vai obter uma resposta precisa e conclusiva quanto à paternidade – especialmente se escolher um laboratório acreditado; mas algumas pessoas também questionam se poderão obter detalhes e características específicas sobre os participantes do teste. Como idade, raça, características físicas ou outras situações ainda mais especificas. Veja abaixo o que o teste de paternidade pode ou não lhe dizer.

O que de certeza o teste de paternidade lhe vai dizer.

O teste de paternidade diz se os dois indivíduos em teste têm ou não uma ligação biológica, ou seja, se é o pai biológica da criança ou não.
O vinculo biológico tem como base o ADN e é por isso que os exames de ADN se tornaram tão importantes na nossa sociedade. Os pais têm como primeira opção a execução do teste de ADN quando existe algum tipo de dúvida quanto à relação biológica, então o teste de ADN de paternidade passou a ser a primeira escolha dos pais para apurar a ligação entre o vinculo biológico. Nos dias de hoje este é o método mais confiável e económico para determinar uma relação biológica.
Em laboratório, após os perfis de ADN dos participantes estarem estabelecidos, os resultados são calculados usando probabilidades de herança por marcador genético. Os resultados dos testes geralmente apresentam uma probabilidade de paternidade superior a 99,9%, quando existe uma ligação biológica de pai para filho entre as pessoas testadas e de 0% se o ADN mostrar que o homem não é considerado o pai biológico.

O sexo dos participantes do teste de paternidade

Um dos marcadores de ADN verificados pelo laboratório durante o teste de paternidade é a “Amelogenina”, ou o gene do sexo. Num relatório este dado é escrito como “XX” para mulheres e XY para homem. Este é um dado útil por um sem número de razões. Por exemplo, se a criança é do sexo masculino e esta verificação mostra que a amostra da criança é de uma pessoa do sexo feminino, o laboratório pode entrar em contato com o cliente e pedir esclarecimentos para garantir que as amostras enviadas são mesmo as corretas. Às vezes, os clientes acidentalmente trocam as amostras ADN e este processo pode conter esse erro, mas em laboratório é mitigado sempre esse erro, comparando o cromossoma sexual com o nome que é colocado nas amostras.

Realização de um teste de paternidade durante a gravidez

Quando se engravida e havendo dúvidas de quem é o pai, normalmente as pessoas são expostas a dois tipos de situações:

Só pode fazer um teste de paternidade durante a gravidez pela amniocentese, um procedimento de alto risco que colocará o seu bebé em risco, pois interfere com o seu ambiente seguro e,

Se não quiser correr riscos, só poderá executar o seu exame após a criança nascer.

Desde o ano de 2008 que os laboratórios utilizam a tecnologia NGS, uma tecnologia que nos permite fazer o teste de paternidade durante a gravidez de forma não invasiva. Esta  tecnologia é tão avançada que os laboratórios garantem uma probabilidade de inclusão superior a 99,9%. Este teste pode ser realizado a partir da 8ª semana de gestação, sem qualquer risco para a mãe ou para o seu bebé.

O que o teste de paternidade não lhe diz de certeza!

Se um suposto pai enviou amostras de outra pessoa em vez da sua, ou se as amostras da criança foram trocadas (quando a colheita de ADN foi realizada em casa).

Quando a colheita de ADN é feita nas pessoas certas, o resultado que é emitido pelo laboratório é 100% fiável, aliás, nos relatórios estão sempre expostos os perfis de ADN pelo que a qualquer momento seja possível tirar uma contra-prova do exame e verificar a identidade dos intervenientes.

Ao fazer o teste de ADN em casa, a identidade dos participantes não é verificada por uma parte externa / testemunha. Por este motivo, o teste de paternidade é informativo, pois não pode ser verificada a proveniência das amostras. O laboratório não pode verificar este tipo de fraude e tem que assumir de boa fé que as amostras enviadas realmente pertencem a quem os participantes dizem que são.

Ao fazer a colheita de ADN em casa, o melhor é que todos os participantes colham o seu ADN na mesma sala, verificar o fecho dos envelopes e fazer o envio/ entrega das amostras juntos. Se não for possível, é aconselhável pagar um pouco mais e fazer o teste de paternidade nos  pontos de colheita de ADN.

A idade dos participantes, características físicas ou cor da pele.

Por vezes, quando existem dois supostos pais num relacionamento pai / filho, é nos perguntado se podemos obter as características físicas do perfil de ADN de forma a apurar a paternidade, ou mesmo a idade do perfil de ADN para saber se a amostra submetida a teste não foi trocada. Apesar de a tecnologia estar evoluída, existem restrições à análise do ADN, os testes a este tipo de genes são demorados e muito caros, e por vezes são apenas aproximações. Também existe legislação que não permite aos laboratórios executar este tipo de exames.

Uma probabilidade de relação biológica diferente do pai / filho

O teste de paternidade é exatamente isso: teste de paternidade entre um possível pai e uma criança. Não determina se o homem testado é um tio, irmão, avô, primo, etc. É necessária uma análise mais abrangente para testar estes tipos de relações biológicas e é chamado de teste de reconstrução familiar. Entenda que ao fazer o teste de paternidade está a pagar esse serviço realização do teste de paternidade, não está a pagar outras análises, o laboratório não se pode desviar para uma pesquisa profunda sobre uma eventual relação biológica, porque tem custos elevados e várias horas de trabalho. Se for opção do cliente descobrir uma possível ligação biológica ( tio, avô, avó, irmão, meio-irmão)terá sempre que haver um encontro de valores entre o laboratório e o cliente.

Conclusão

Analisar o ADN ainda é o método mais preciso e confiável para testes de paternidade, e é por ser confiável que a resolução de disputas familiares em tribunais em todo o mundo é feita através de um teste de paternidade. Mas é importante lembrar que estes testes de ADN são projetados para um propósito específico e apenas um propósito: estabelecer a probabilidade de uma relação biológica. Se tiver outras questões familiares que precise de ver respondidas por ADN, existem outros tipos de testes que poderão responder às suas questões.

Se tiver dúvidas como os resultados são apresentados pode consultar o artigo: Como ler os resultados de um teste de paternidade.

Veja aqui o nosso teste de paternidade, preços, rapidez e tudo o que deve saber sobre os testes de ADN. >>

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para [email protected], com o relato.

Leave a reply